politica

Eleições em 2018 correm risco de não acontecer

editorial | 10/11/2017 | Jornal Brasil Popular

Democracia pode sofrer novo golpe com adiamento das eleições do próximo ano

Há uma trama no Congresso para adiar as eleições do próximo ano para 2020, sob falsa alegação de coincidência de eleições seria melhor para o Brasil. Trata-se de novo golpe.

Quem coordena esta tramoia é o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em nome de interesses externos, que vão usar qualquer truque para impedir que Lula, com popularidade crescente, possa concorrer e voltar à Presidência da República. Os interesses externos estão sendo largamente beneficiados pela desnacionalização do petróleo e do sistema elétrico atualmente em curso. Querem mais.  Quem dominar o Programa Nuclear, paralisá-lo. Querem controlar a Base de Alcântara e bloquear o desenvolvimento tecnológico do Brasil.

O Ministro Luiz Fux, do STF, deu declaração a favor da condenação de Lula, quando o seu julgamento ainda sequer tem data marcada. É uma vergonhosa pressão sobre as instâncias inferiores da Justiça, para que não deixem o caso chegar até o Supremo Tribunal Federal. É, também, prova do medo que possuem os poderosos, os banqueiros, os ricaços, do tremendo apoio popular que Lula vem recebendo em suas caravanas pelo Nordeste e por Minas Gerais.

Frente às tramas que os conservadores criam para impedir as eleições em 2018 ou para impedir que Lula se candidate, a única saída para as forças populares é formar uma ampla frente com todos os setores progressistas para impedir este novo golpe. Deve ser ampla o suficiente para impedir mudanças no calendário eleitoral e para parar todo o entreguismo e a demolição de direitos atualmente em curso. Enfim, para parar a destruição do Brasil.

 

 

 

 

Mais Sobre politica