politica

Deputados protestam em plenário contra prisão ilegal de Lula

noticia | 11/04/2018 | Da Redação, com PT na Câmara

As arbitrariedades e ilegalidades da Justiça no caso do ex-presidente Lula foram denunciadas mais uma vez nesta terça-feira (10/4), pelo líder do PT na Câmara, deputado Paulo Lula Pimenta (RS). Acompanhados pelos deputados da bancada, maior da Casa, com faixas e cartazes pedindo a liberdade de Lula e com gritos de “Lula guerreiro do povo brasileiro, Pimenta subiu à tribuna para anunciar que o Partido está em obstrução geral nas votações da Câmara.

 

O líder Paulo Lula Pimenta agradeceu ao PCdoB, PSol, PDT e PSB, além de outros partidos que estão solidários ao Lula. “Quero agradecer àqueles que entendem que nós estamos vivendo um Estado de exceção, de grave violação. O presidente Lula é hoje um preso político, o primeiro no Brasil após o período da ditadura. Lula não só foi condenado em um processo sem provas e sem jamais ter cometido crime, como a sua prisão foi autorizada de maneira absolutamente ilegal pelo TRF-4”.

Além disso, explicou o líder do PT, nós temos uma situação onde o juiz Sérgio Moro, mais uma vez, “de maneira criminosa determinou a prisão do presidente Lula, violando a Constituição, ignorando o princípio da presunção da inocência”. Tudo, de acordo com Paulo Lula Pimenta, trata-se de uma ação eminentemente política, de setores da sociedade que sabem que não podem “nos derrotar nas urnas e por isso tentam de maneira ilegal e criminosa tirar do povo brasileiro o direito de eleger Lula presidente”.

Paulo Lula Pimenta citou também mais uma ilegalidade praticada hoje, contra Lula, quando a Justiça do Paraná negou a nove governadores, de diferentes partidos, e três senadores, o direito de visitar Lula na Superintendência da Polícia Federal. “O juiz Sérgio Moro tenta amplificar essa escalada odiosa e violenta contra Lula fala em privilégios. Nós não queremos privilégios, queremos que a lei – que garante a qualquer pessoa determinados direitos – também seja estendida ao presidente”, afirmou.

O líder disse que Lula não está acima da lei, mas não está abaixo. “E é por isso que nós estamos aqui, justamente com os demais partidos do Bloco da Oposição, em obstrução política para dizer ao Brasil e ao mundo que esse discurso de ódio, que esse discurso desequilibrado de pessoas que não suportam a democracia não vai prevalecer. Nós não seremos contagiados por grupos de pouco significado social que deram sustentação política a esse País na ditadura militar e que agora, diante de uma derrota nas eleições, mais uma vez aplaudem método autoritários e covardes, atingem a democracia com objetivo de impedir a candidatura do presidente Lula”, lamentou.

O povo brasileiro, reforçou Paulo Lula Pimenta, tem confiança no presidente. “A população brasileira na sua grande maioria sabe o que Lula fez e o que Lula voltará a fazer se assumir novamente a Presidência”, disse. Ele anunciou que haverá mobilizações no Brasil e no mundo para denunciar essa situação. “Nós queremos agradecer a milhares de brasileiros, muitos deles de maneira anônima, que tem manifestado o seu carinho, e reafirmando a sua confiança a essa grande liderança política que é o presidente Lula”

Paulo Lula Pimenta encerrou reafirmando que a luta e as manifestações pela liberdade de Lula serão diárias. “Enquanto no Brasil persistir essa situação absolutamente ilegal, produzida por um setor do poder Judiciário que abandonou a Constituição, que transformou sua toga em um manto de política partidária, nós vamos nos insurgir.  Vamos lutar até o final para que a democracia seja garantida, para que os diretos sejam respeitados e para que Lula o mais rapidamente possível, em liberdade, possa dar sequência a sua missão que é voltar a presidir esse País. E é isso que acontecerá nas eleições deste ano”.

 

Mais Sobre politica
  • politica
    Igreja sem partido, Igreja com princípios

    Tenho muito orgulho da Igreja Católica. Com ela guardo vínculos inquebrantáveis. Ela orienta a minha fé e os fundamentos do meu comportamento cristão. Longe de qualquer fundamentalismo. Fui integrante da JEC e da J...

    Igreja sem partido, Igreja com princípios
    Saiba Mais
  • politica
    O Dia Seguinte

    “Não se pode olhar para a política pelo velho espectro da esquerda e direita”, (Marine Le Pen, Paris, 19 de março 2018)   Como será o Brasil de 2019?   Será que os eleitores de ambos candid...

    O Dia Seguinte
    Saiba Mais
  • politica
    TSE não julga Bolsonaro por denúncia da Folha, mas Moro prendeu Lula com fake news da Globo

    A milionária fraude de manipulação gigantesca do whatsapp, financiada por empresários corruptos com dinheiro de caixa 2, é considerado grave crime eleitoral por 12 de cada 10 juristas eleitorais – mas s&o...

    TSE não julga Bolsonaro por denúncia da Folha, mas Moro prendeu Lula com fake news da Globo
    Saiba Mais
  • politica
    Idec pede investigação sobre campanha eleitoral pelo WhatsApp

    Instituto solicitou abertura de inquérito civil no caso de utilização indevida de dados por empresas durante a campanha eleitoral O Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) encaminhou representação &agra...

    Idec pede investigação sobre campanha eleitoral pelo WhatsApp
    Saiba Mais