politica

Sindicato dos arquitetos havia alertado o GDF sobre o viaduto que desabou

noticia | 06/02/2018 | Da Redação

Em nota, o Sindicato da Arquitetura e da Engenharia (Sinaenco) afirma que, em 2011, tornou público um estudo, que foi enviado às autoridades do Distrito Federal, em que os responsáveis pela avaliação alertaram que o “Viaduto do Eixão no Setor Comercial Sul/Setor Bancário Sul apresenta o agravamento dos problemas constatados em 2009, necessitando de intervenção urgente face ao alto volume de veículos que ali trafegam“. Mesmo assim, nada foi feito pelo governo.

Confira a íntegra da nota:

O Sindicato da Arquitetura e da Engenharia (Sinaenco) informa que vem realizando, desde 2005, estudos sobre a manutenção do ambiente construído, dentro da campanha intitulada “Infraestrutura: Prazo de Validade Vencido“, cujo objetivo é alertar sociedade e governos sobre a importância de políticas permanentes de manutenção de equipamentos públicos e obras de arte urbanas.

No caso do desabamento de parte do viaduto da Galeria dos Estados, sobre o Eixão Sul, ocorrido hoje, 6 de fevereiro, o Sindicato ainda esclarece que esse viaduto integrou os estudos realizados em 2009 e 2011 no Distrito Federal. No estudo de 2011, tornado público por meio da divulgação à imprensa e enviado às autoridades do DF, os responsáveis pela avaliação alertaram que o “Viaduto do Eixão no Setor Comercial Sul/Setor Bancário Sul apresenta o agravamento dos problemas constatados em 2009, necessitando de intervenção urgente face ao alto volume de veículos que ali trafegam“.

As políticas permanentes de manutenção do ambiente construído – de edificações, pontes e viadutos, rodovias, ferrovias, portos, aeroportos, entre outros – são fundamentais para preservar o investimento e garantir o seu uso futuro de forma adequada.  Estudos internacionais estimam que o ideal é que fossem investidos pelo menos 2% do Produto Interno Bruto (PIB) de um país na manutenção do ambiente construído. Assim, edificações, que têm vida útil estimada em 50 anos, por exemplo, poderiam estar renovadas e em perfeitas condições de uso por muito mais tempo. As administrações públicas brasileiras, nos três níveis de governo, investem próximo de zero por cento de seus orçamentos na manutenção.

Além do DF, já foram realizados estudos do Infraestrutura: Prazo de Validade Vencido em 22 cidades brasileiras: 11 capitais e em igual número de cidades do interior paulista. Nesses estudos são analisadas as condições aparentes de manutenção de pontes, viadutos, praças e parques e edificações públicas. Os resultados desses estudos foram apresentados, com grande repercussão, às autoridades e às populações locais por meio da imprensa. A meta é estimular os cuidados com a manutenção desse patrimônio público e a aumentar a preocupação com esse importante item entre os administradores públicos e privados e na sociedade brasileira.

O acidente de hoje, para o Sinaenco, infelizmente apenas confirma esse diagnóstico e reforça a importância de a sociedade cobrar os responsáveis pela gestão de prefeituras, governos estaduais e governo federal sobre a urgência de se passar das promessas à adoção de medidas efetivas de prevenção e correção dos problemas em pontes, viadutos e equipamentos públicos, especialmente aqueles que podem trazer riscos aos cidadãos e usuários.

Os estudos e as campanhas pela manutenção do ambiente construído desenvolvidos pelo Sinaenco podem ser acessados em: 

http://sinaenco.com.br/campanhas/campanha-pela-manutencao-do-ambiente-construido-12/

 

 

Mais Sobre politica