politica

Querem condenar Lula sem provas

noticia | 23/06/2017 | Beto Almeida

Está chegando a hora de ser conhecida a sentença do processo em que Lula é acusado de ser o dono de apartamento tríplex no Guarujá, muito embora o imóvel esteja registrado em nome da construtora OAS, como provaram os advogados de defesa, sem terem sido contestados pelo proprietário da empresa, Leo Pinheiro. 

Segundo o Código de Processo Civil, “só é dono quem registra”, mas este princípio, consagrado no Direito, estaria sendo desprezado pelos procuradores e também pelo Juiz Sérgio Moro, que ignoram documentação da Receita Federal, atestando que o apartamento citado é propriedade da empresa que o construiu.

 Neste momento, os acusadores, que são procuradores da República do Paraná, fazem, em suas alegações finais, absurdas revelações, indicando como Lula está sendo perseguido e acusado injustamente. Eles reconhecem ser muito difícil provar que Lula cometeu algo ilícito e dizem “isto não é fruto do acaso, mas sim em decorrência dos cuidados adotados pelos que são acusados", sem prova.

Isto cria uma situação jurídica absurda, uma verdadeira degradação do direito, pois se esta tese for aceita, e Lula for condenado, mesmo com seus acusadores confessando não terem encontrado provas, a partir de agora, qualquer cidadão poderá ser condenado sem provas, alegando-se contra ele, “ser muito difícil provar”, como consta em livro de autoria do próprio procurador Deltan Dalagnol, citado por ele mesmo para acusar Lula. 

O que se verifica é uma ânsia, seja dos procuradores, seja do juiz Moro, por suas inúmeras declarações à imprensa, de condenarem Lula de qualquer jeito, para demolir a imagem de tudo o que seus dois governos fizeram de positivo para o Brasil e, também, para impedir que ele possa voltar à presidência, direito legítimo de Lula e de qualquer cidadão brasileiro com mais de 35 anos de idade. É uma clara perseguição a Lula.

Mais Sobre politica