economia

Crise se aprofunda e confiança do consumidor volta a cair

noticia | 02/03/2018 | Da Redação

O Índice Nacional de Expectativa do Consumidor caiu 1,6% em relação a fevereiro de 2017. O valor de 102,7 pontos é 0,2% menor do que o de janeiro deste ano e continua abaixo da média histórica, que é de 108 pontos. As informações são pesquisa divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), nesta sexta-feira, 2 de março.

Com a confiança baixa, os consumidores estão pouco dispostos a ir às compras. Especialistas ouvidos pelo Brasil Popular afirmam que a permanência do INEC em um patamar baixo sugere que a recuperação da economia não passa de uma fantasia mostrada pela grande mídia em favor do golpe de Estado que derrubou Dilma Rousseff e colocou na presidência da República Michel Temer e a política econômica do PSDB.

De acordo com a pesquisa, aumentou a preocupação dos brasileiros com o emprego. O indicador de expectativa de desemprego caiu 1,3%. Quanto menor o indicador, maior é o número de pessoas que esperam o aumento do desemprego. O indicador de expectativas renda pessoal e de situação financeira oscilaram pouco. O de renda pessoal subiu 0,3% e o de situação financeira caiu 0,3%. O indicador de expectativa de compras de maior valor caiu 1,7% em fevereiro frente a janeiro. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, a queda foi de 2%.

O INEC é um indicador que ajuda a antecipar variações na atividade econômica. Consumidores menos confiantes tendem a diminuir as compras. Com a redução do consumo, aumentam as dificuldades de recuperação da economia. Feita em parceria com o Ibope, essa edição do INEC ouviu 2.002 pessoas em 142 municípios entre 22 e 26 de fevereiro.

Mais Sobre economia