politica

Jornalão vai aproveitar a Copa do Mundo para intensificar campanha contra Putin

artigo | 10/06/2018 | Mario Augusto Jakobskind

Prestem atenção. A Copa do Mundo está chegando e a mídia comercial, especialmente o esquema Globo, prepara uma recepção ao estilo norte-americano ao líder russo Vladimir Putin. O Globo já anunciou que irá à Rússia o seu colunista político Merval Pereira. Alguém acredita que o referido foi escalado à toa, ou seja, não manipulará informação com o objetivo de queimar Putin diante dos leitores do jornalão e mesmo dos espaços televisivos do grupo de propriedade da família Marinho?

É só acompanhar o noticiário para confirmar que o objetivo do grupo midiático realizará tal façanha, se é que alguém tem dúvidas a respeito, ou seja, que a Organizações Globo está sintonizada com outras publicações internacionais, sejam do próprio Estados Unidos ou do chamado grupo Diário das Américas.

Não se trata de nenhum exercício de futurologia, mas apenas uma constatação segundo a qual os inimigos internacionais da Rússia, especialmente de Putin, aproveitarão a oportunidade que o popular esporte mundial, o futebol lhe oferece para continuar a campanha mentirosa contra o dirigente russo. É um prato feito ,que contará com a colaboração do colunista político acostumado a diariamente desancar contra políticos que não rezam pela cartilha da família Marinho.

Doação das riquezas do pré-sal

Ao mesmo tempo que o jornalão anunciava a novidade sobre a ida do colunista à Rússia durante a Copa do Mundo, o esquema Globo vibrava com os leilões das áreas petrolíferas do pré-sal, abocanhadas por multinacionais do setor. E O Globo edita com destaque o valor irrisório pago pelas empresas estrangeiras. Na base dos 3 e poucos bilhões em caixa, mas ignorando o baixo valor, e o que ainda pior, a entrega de mão beijada de riquezas que farão falta ao país. Mesmo que não fosse irrisório, nada justifica a cessão de riquezas nacionais de valor inestimável para o futuro do Brasil.

Para se ter uma ideia, enquanto o governo dos Estados Unidos faz o possível e o impossível para controlar o petróleo da Venezuela, nas bandas brasileiras, com o apoio da mídia comercial, o ouro negro é doado pelo governo golpista de Michel Temer, algo que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso sempre defendeu e tentou, mas não conseguiu, fazer totalmente em seu governo entreguista. Cardoso abriu para investidores na Bolsa de Nova York e agora, mesmo sem Pedro Parente, o novo Presidente da Petrobras, Ivan Monteiro continuará protegendo, claro, em detrimento do povo brasileiro.

É assim que caminha o Brasil sob o governo de Michel Temer, o presidente ilegítimo que chegou ao fim, mas continuará procurando entregar as riquezas restantes do Brasil. É preciso, portanto, denunciar o que está acontecendo e não aceitar política vergonhosa colocada em prática nos últimos dois anos a partir do golpe parlamentar, midiático e judicial. Ou seja, não se pode aceitar passivamente o que está acontecendo, sob pena e o Brasil retornar em definitivo à condição de colônia.

Mais Sobre politica