politica

Em carta, Lula reafirma candidatura e denuncia manobras do Judiciário

noticia | 03/07/2018 | Da Redação

Em carta, o ex-presidente Lula reafirma sua candidatura à presidência da República, indica a coordenação da campanha e denuncia uma série de manobras que vem sofrendo no Judiciário: “tudo isso me leva a crer que já não há razões para acreditar que terei Justiça, pois o que vejo agora, no comportamento público de alguns ministros da Suprema Corte, é a mera reprodução do que se passou na primeira e na segunda instâncias”.

 

A carta foi lida nesta terça-feira (3/7), pela presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, durante reunião da Executiva Nacional do partido, em Brasília. (clique aqui para ler a íntegra da carta)

Líder em todas as pesquisas eleitorais, o ex-presidente, que está trancafiado como preso político em Curitiba (PR), afirma que “chegou a hora de todos os democratas comprometidos com a defesa do Estado Democrático de Direito repudiarem as manobras de que estou sendo vítima, de modo que prevaleça a Constituição e não os artifícios daqueles que a desrespeitam por medo das notícias da Televisão”.

Para coordenar a campanha presidencial, Lula indicou o ex-presidente da Petrobrás, José Sergio Gabrielli (coordenador-geral-executivo), os ex-ministros Ricardo Berzoini (coordenador de finanças), Luiz Dulci e Gilberto Carvalho, e o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto. O coordenador-geral do programa de governo é o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. Na próxima reunião da Executiva, marcada para 20 de julho, o PT indicará coordenadores setoriais e temáticos para a campanha.

 

A Executiva do PT também aprovou um calendário de mobilizações populares pela liberdade de Lula e pelo seu direito de ser candidato. Durante a semana de 9 a 14 de julho será realizada a campanha do abaixo-assinado Lula Livre. Haverá mobilizações em todo o país, culminando, no dia 15 de agosto, com uma grande marcha popular a Brasília para o registro da candidatura Lula no Tribunal Superior Eleitoral.

Mais Sobre politica