politica

Empresário midiático que apoiava a ditadura informava também à embaixada dos EUA

artigo | 14/05/2018 | Mario Augusto Jakobskind

Esta informação deve ser do conhecimento de todo povo brasileiro, mas resta saber se será divulgada pela mídia comercial. Documentos secretos do Departamento de Estado norte-americano revelam que o empresário Roberto Marinho, proprietário do jornal e posteriormente da TV Globo, fundada duramente a ditadura militar com a ajuda estrangeira, mais precisamente dos Estados Unidos, teve grande protagonismo junto à cúpula que se apossou do governo brasileiro depois do golpe de estado que derrubou o governo constitucional de João Goulart.

Roberto Marinho, segundo informações do então embaixador dos EUA, Lincoln Gordon, não só tinha livre trânsito com os golpistas, como se reunia com eles e até indicava Ministros, como no caso de Juracy Magalhães, galgado ao Ministério da Justiça no governo de fato do general de plantão Humberto de Alencar Castelo Branco.

Ainda segundo o informe de Gordon para seus superiores hierárquicos, Marinho trabalhava silenciosamente ao lado do general Ernesto Geisel, então chefe da Casa Militar, o chefe do Serviço Nacional de Informação, Golbery do Couto e Silva e ainda Luis Vianna, titular da Casa Civil do general Castelo Branco.

Na ocasião, Roberto Marinho não só tinha livre trânsito nos gabinetes da ditadura, como sua opinião era sempre levada em conta. Prova disso é que ele alertou ao golpista Castelo Branco que se fosse mantida a eleição direta para a Presidência da República, a oposição retornaria ao comando do Palácio do Planalto. Imediatamente o alerta foi levado em conta e o mandato do presidente de fato foi prorrogado e somente após o fim da ditadura, em 1989, o povo voltou a ser convocado para escolher o Presidente. 

Mais Sobre politica
  • politica
    Igreja sem partido, Igreja com princípios

    Tenho muito orgulho da Igreja Católica. Com ela guardo vínculos inquebrantáveis. Ela orienta a minha fé e os fundamentos do meu comportamento cristão. Longe de qualquer fundamentalismo. Fui integrante da JEC e da J...

    Igreja sem partido, Igreja com princípios
    Saiba Mais
  • politica
    O Dia Seguinte

    “Não se pode olhar para a política pelo velho espectro da esquerda e direita”, (Marine Le Pen, Paris, 19 de março 2018)   Como será o Brasil de 2019?   Será que os eleitores de ambos candid...

    O Dia Seguinte
    Saiba Mais
  • politica
    TSE não julga Bolsonaro por denúncia da Folha, mas Moro prendeu Lula com fake news da Globo

    A milionária fraude de manipulação gigantesca do whatsapp, financiada por empresários corruptos com dinheiro de caixa 2, é considerado grave crime eleitoral por 12 de cada 10 juristas eleitorais – mas s&o...

    TSE não julga Bolsonaro por denúncia da Folha, mas Moro prendeu Lula com fake news da Globo
    Saiba Mais
  • politica
    Idec pede investigação sobre campanha eleitoral pelo WhatsApp

    Instituto solicitou abertura de inquérito civil no caso de utilização indevida de dados por empresas durante a campanha eleitoral O Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) encaminhou representação &agra...

    Idec pede investigação sobre campanha eleitoral pelo WhatsApp
    Saiba Mais