economia

Fracasso do golpe leva confiança do empresário à maior queda desde 2010

noticia | 20/06/2018 | Da Redação

Parece que o golpe abalou com mais força a confiança do empresário no mês de junho. O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) teve queda de 5,9 pontos frente a maio e atingiu 49,6 pontos neste mês. Foi o maior recuo da série mensal, que começou em 2010, informa pesquisa divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta quarta-feira, 20 de junho.

Com a retração, o indicador ficou pouco abaixo da linha dos 50 pontos, o que sinaliza falta de confiança dos empresários. Já o índice sobre as condições atuais da economia brasileira foi de 48,3 pontos em maio para 37,1 pontos em junho. Por sua vez, o indicador de expectativas para a economia passou de 54,1 pontos para 46,6 pontos no período.

As grandes e médias empresas tiveram queda mais intensa no ICEI – de 6,2 pontos – do que as pequenas. No entanto, apenas os empresários de grandes indústrias se mantêm otimistas, pois o índice se mantém acima da linha dos 50 pontos.

Todos os segmentos industriais – construção, extrativo e de transformação – tiveram queda na confiança. A indústria da construção teve recuo no índice de 5,6 pontos e atingiu 48,2 pontos, o menor entre os segmentos industriais. O ICEI da indústria de transformação foi o que mais recuou: 6,1 pontos, para 49,7 pontos.

A confiança do empresário caiu em todas as regiões do país. No Sul e no Sudeste, o ICEI ficou abaixo dos 50 pontos, sinalizando falta de confiança. Na Região Norte, embora tenha o maior índice, em 52,2 pontos, houve a maior queda mensal no indicador: 7,4 pontos.

O ICEI é um indicador que ajuda a entender as tendências da indústria e da economia. Empresários confiantes tendem a ampliar a produção e os investimentos, o que estimula o crescimento da economia. Esta edição da pesquisa foi feita entre 4 a 14 e junho, com 2.779 empresas, das quais 1.115 são pequenas, 1.039 são médias e 625 são de grande porte.

 

 

Mais Sobre economia