politica

Juízes continuam salvando os amigos da Corte

noticia | 13/02/2018 | Da Redação

Quando o historiar Maquiavel – morto em 1527 – afirmou que “aos amigos os favores, aos inimigos a lei”, parece que ele já previa como seria o Judiciário do Brasil. Exemplos não faltam, sobretudo com o golpe de Estado que depôs a presidente Dilma Rousseff para colocar no poder Michel Temer (MDB-SP) e a turma do PSDB. Enquanto processos dessa gente ficam esquecidos nos porões da Judiciário, Lula foi julgado em primeira e segunda instâncias num prazo de seis meses e condenado sem apresentação de provas.

 

STF ajuda Romero Jucá a estancar sangria

O senador Romero Jucá (MDB-RR) é um craque do estancamento de sangrias no Supremo. Ele acaba de se livrar de uma ação que durava 14 anos sobre suposta prática de desvio de recursos públicos. O processo dormiu nas gavetas do Supremo Tribunal Federal (STF) e o ministro Marco Aurélio Mello arquivou a denúncia por prescrição.

Só para lembrar, no início de 2016, vieram à tona áudios em que Jucá dizia ao ex-senador Sérgio Machado (PSDB-PE) ter acertado com o STF “parar a lava jato” com a saída [derrubada] de Dilma Rousseff.

 

 

STF dobra o prazo para Aécio se defender

 

A pedido da defesa do senador Aécio Neves (PSDB-MG), o ministro Marco Aurélio Mello, do STF, dobrou o prazo para que o Mineirinho se manifeste no inquérito que o investiga pelos supostos crimes de corrupção passiva e obstrução da Justiça, com base na delação do grupo J&F.

O inquérito investiga ainda Andrea Neves da Cunha, irmã de Aécio, Frederico Pacheco de Medeiros, primo do senador, e Mendherson Souza Lima, ex-assessor do senador Zezé Perrella (MDB-MG) – o dono do helicóptero preso com meia tonelada de cocaína, mas que não sofreu os rigores da lei porque ninguém sabe a quem pertence a droga.

 

Henrique Alves ganha prisão domiciliar

O juiz federal Francisco Eduardo Guimarães, da 14ª Vara Federal no Rio Grande do Norte, deferiu pedido da defesa do ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves (MDB) e determinou a conversão da prisão em domiciliar. Ele foi condenado por propina, corrupção e lavagem de dinheiro a partir dos recursos usados na construção da Arena das Dunas, em Natal.

 

PGR pede que STF não investigue Serra

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu ao STF o arquivamento de uma investigação sobre o senador José Serra (PSDB-SP), baseada na delação dos executivos da J&F. A justificativa é que o crime já teria prescrito em razão da demora nas investigações. Como o senador tem mais de 70 anos, a prescrição ocorreu 6 anos após a campanha, em 2016. Cabe à relatora do inquérito no STF, ministra Rosa Weber, analisar o pedido. Alguém tem dúvida que ela vai arquivar o caso?

 

 

Lentidão da Justiça livra Eduardo Azeredo

O ex-presidente do partido, Eduardo Azeredo, aguardou feliz da vida por 12 anos até que o Tribunal de Justiça de Minas Gerais julgasse seu processo. Num grande faz de conta, Azeredo foi condenado por participação no mensalão tucano, mas só quando o crime já poderia ser considerado prescrito. É só mais um amigo da Corte que tem garantidos os favores da lei.

Mais Sobre politica