mundo do trabalho

83% dos desempregados não conhecem bem a reforma trabalhista

noticia | 01/03/2018 | Da Redação

As perdas de direitos foram tantas com a nova legislação trabalhista que praticamente destruiu a CLT – como trabalho intermitente, remuneração flexível, prevalência de acordo entre patrões e empregados sobre o que diz a lei, entre outras –, que muitos brasileiros ainda não tiveram tempo de refletir sobre o terrível impacto da reforma trabalhista em suas vidas.

Um estudo realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) com brasileiros que estão desempregados atualmente revela que 83% dos entrevistados admitem não estar bem informados sobre a recente mudança na legislação trabalhista. Apenas 16% reconhecem ter informações suficientes sobre o assunto. O desconhecimento é elevado em todos os estratos sociais, mas maior entre os de mais baixa escolaridade.

Esse dado demonstra que até entidades ligadas aos empresários comprovam o quanto os trabalhadores foram enganados sobre a reforma trabalhista. Eles só não mostram que os próprios empresários e a grande mídia fizeram esse trabalho para o governo golpista, dizendo todo dia nos meios de comunicação que os trabalhadores sairiam ganhando com a reforma. E uma mentira contada muitas vezes acaba virando “verdade”. A verdade dos golpistas poderosos.

Sancionada pela presidência da República em julho do ano passado, e posta em vigor a partir de novembro, as novas leis permanecem cercadas de incertezas. Mas o fato é que somente 19% esperam um aumento na quantidade de vagas. Para 31%, as mudanças na legislação não devem exercer qualquer efeito no mercado de trabalho, enquanto 26% não possuem uma opinião formada sobre o assunto. Quase um quarto (24%) dos entrevistados acredita que haverá diminuição de postos de trabalho, ao passo que 19% esperam um aumento na quantidade de vagas.

Com relação ao trabalho intermitente, somente 24% dos desempregados considera a medida positiva. Para 33%, ela é regular (nem boa, nem ruim), enquanto que 23% classificam a nova modalidade de contratação de forma negativa. Outros 20% não responderam ou não tem opinião formada. Mas, como aponta o dado principal da pesquisa, 83% dos desempregados ainda não estão bem informados sobre a reforma. Mas quando começarem a se inteirar e sentir na pele as verdadeiras consequência da nova legislação, certamente sentirão falta da CLT.

Mais Sobre mundo do trabalho