cultura

Semana da Língua Alemã em Brasília, entre 7 e 15 de abril, tem mostra de cinema com filmes da Alemanha, Áustria e Suíça

noticia | 28/03/2018 | Da Redação

Programação da terceira edição da Semana inclui ainda exposições, rodas de leitura e oficinas, com apresentação de diferentes culturas

 

São inúmeras as oportunidades que o aprendizado de um novo idioma pode trazer. Ainda mais quando se trata da língua mais falada da Europa! Foi pensando nisso que as embaixadas da Alemanha, Áustria, Bélgica, Luxemburgo e Suíça se uniram para criar a Semana da Língua Alemã, que chega em 2018 a sua terceira edição consecutiva com mais de 450 eventos em cidades de todas as regiões do Brasil. Brasília, sede das embaixadas, tem programação especial.

 

A abertura da Semana da Língua Alemã 2018 será realizada no dia 7 de abril, no Cine Brasília, às 19 horas, com a exibição do premiado filme suíço “Mulheres divinas” (Petra Volpe, 2017). O longa, vencedor do prêmio do público no Festival de Tribeca (EUA), remonta a Suíça dos anos 70 e mostra a luta de mulheres pelo direito ao voto feminino no país. Os brasilienses ainda poderão ter contato com o idioma alemão por meio de exposições, rodas de leitura e oficinas. As atividades estão disponíveis no site www.semanadalinguaalema.com.br.

 

A programação no Cine Brasília segue até o dia 13 de abril, com a exibição das produções alemãs “Entre culturas” (Peter K. Wehrli e Peter von Gunten, 2016) e “Selvagem” (Nicolette Krebitz, 2015). Dois filmes da Áustria também estão na mostra: “Alta Performance” (Johanna Moder, 2014) e “Egon Schiele, morte e musas” (Dieter Berner, 2016), cinebiografia do renomado pintor expressionista austríaco. A entrada para todos os filmes é gratuita.

 

Literatura – Durante toda a Semana, moradores da capital poderão se deparar com clássicos da literatura alemã em metrôs, pontos de ônibus, parques e escolas. É que a Embaixada da Alemanha resolveu “esquecer” nesses locais dezenas de livros escritos originalmente em alemão. A ação “Língua Alemã para todos” vai espalhar obras vencedoras do Prêmio Nobel como “O Lobo da Estepe”, de Hermann Hesse, e “O Anjo Silencioso”, de Heinrich Böll. Ao lado de clássicos como “O Tambor” (Günter Grass), também poderão ser encontrados livros infanto-juvenis como “Coração de Tinta”, de Cornelia Funke. Quem achar um livro ou participar de outras atividades poderá fotografar e publicar nas redes sociais com a hashtag #eufaloalemao.

 

Mas o contato com a literatura em alemão não se dará apenas pelas obras. Autores de diferentes países estarão no Brasil para leituras públicas. É o caso do suíço Peter K. Wehrli, que além de exibir seu filme na mostra do Cine Brasília, vai ler passagens de seu “Catálogo de tudo” no dia 9 de abril, na Embaixada da Alemanha, em Brasília (para participar, é necessária inscrição).

 

Sabadão Alemão – Referência no ensino da língua alemã na capital federal há 20 anos, o Goethe-Zentrum Brasília promove no dia 14 de abril o “Sabadão alemão”. A Ghesti Bier estará vendendo cervejas tipo alemãs, como a famosa Weissbier, e Chef Knut levará pratos típicos como Bratwurst eApfelstrudel. O público poderá ainda jogar jogos de tabuleiro populares na Alemanha e participar doSpeak Dating, roda de bate-papo com nativos em alemão de diferentes nacionalidades e sotaques.

 

Aprender alemão – Embaixadores dos cinco países que promovem a Semana da Língua Alemã enumeram os benefícios de se aprender o idioma e falam da presença do alemão em suas culturas. Para o embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witschel, conhecer um outro idioma é “ter acesso à sociedade, ciência e cultura de outros países”. A embaixadora da Áustria, Irene Giner-Reichl, lembra que países europeus que tem alemão como língua oficial são altamente desenvolvidos em ciência e pesquisa. “É por isso que a língua alemã abre portas para estudantes estrangeiros para a melhor educação na Europa”, afirma.

 

O embaixador suíço no Brasil, Andrea Semadeni, lembra que a Suíça tem quatro idiomas oficiais, mas que o alemão é predominante: “cerca de 60% da Suíça fala alemão”, aponta. O multilinguismo também é característica da Bélgica e, de acordo com o embaixador belga Dirk Loncke, “contribui para atolerância, o multilinguismo e o comércio internacional no país”. O embaixador de Luxemburgo, Carlo Krieger, também é entusiasta do multilinguismo: “Esse é o nosso estilo de vida em Luxemburgo. Eu me sinto à vontade pelos quatro cantos do mundo sendo multilingue”, comemora.

 

 

Mais Sobre cultura